Basta uma rápida pesquisa na plataforma Google Trends para perceber como o interesse pela sigla ESG cresceu de forma expressiva nos últimos anos. Um levantamento publicado pelo site Valor Econômico em fevereiro de 2022 mostrou um aumento de 150% no volume de pesquisas em um ano.

Neste artigo, você vai entender a relação desse termo com a questão da sustentabilidade, conhecerá os princípios do ESG e algumas boas práticas para alinhar a indústria brasileira a essa tendência global. Confira!

O que é ESG e como surgiu?

ESG é a sigla do termo em inglês Environmental, Social and Governance, que pode ser traduzida para o português para ASG Ambiental, Social e Governança (ASG). Utilizado pela primeira vez em um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) em 2004, o conceito se refere a práticas organizacionais relacionadas à:

  • preocupação com o meio ambiente; 
  • proteção dos direitos humanos;
  • iniciativas anticorrupção.

Aos poucos, o ESG vem sendo adotado como um sinônimo de sustentabilidade empresarial e para definir negócios que valorizam a responsabilidade socioambiental e as melhores práticas administrativas. Um estudo feito pelo Boston Consulting Group (BCG) em 2017 mostrou que a incorporação dessas práticas aumenta a margem de valorização das empresas.

Princípios e boas práticas do ESG para a indústria

Como o próprio nome sugere, os princípios que compõem o ESG se dividem em três pilares:

Environmental (Responsabilidade ambiental)

O pilar de responsabilidade ambiental diz respeito a medidas voltadas para a sustentabilidade, como a criação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) e o uso consciente de recursos naturais. As práticas recomendadas nesse aspecto incluem:

Social (Responsabilidade social)

O pilar social se concentra em ações que considerem as necessidades de geração de valor para todos os stakeholders. Isso quer dizer que, além do resultado financeiro para os acionistas, a empresa deve buscar um impacto positivo para a sociedade em geral com:

  • iniciativas de diversidade e inclusão;
  • auxílio a programas de educação;
  • respeito aos direitos humanos;
  • apoio à comunidade local.

Governance (Governança Corporativa)

O pilar de governança se refere às ações internas para assegurar o cumprimento da legislação vigente, como a defesa da transparência fiscal e a gestão de riscos. As empresas devem estabelecer normas de conduta que dêem sustentação para o funcionamento dos outros pilares, como:

  • políticas de combate a corrupção, assédio e discriminação;
  • processos transparentes na relação com os parceiros de negócios;
  • remuneração justa e racional aos colaboradores.

Como vimos ao longo deste artigo, o ESG passou a ter um peso significativo na avaliação da empresa frente ao mercado. Mas vale destacar que o consumidor também está atento às ações da sua empresa em termos de sustentabilidade.

Para saber mais sobre o assunto, continue conosco e veja como as ações de marketing verde fortalecem a imagem da sua marca.