Seguir à risca as disposições legais sobre a gestão de resíduos é um dos principais desafios das indústrias, que precisam se adaptar a uma série de normas técnicas e burocráticas. Neste artigo, reunimos algumas das dúvidas mais frequentes sobre o Sigor, um dos sistemas de monitoramento utilizados no estado de São Paulo. Confira!

O que é o Sigor?

A sigla Sigor se refere ao Sistema Estadual de Gerenciamento Online de Resíduos Sólidos. Trata-se de uma ferramenta instituída no estado de São Paulo em 2014 pelo Decreto Estadual nº 60.520. Seu objetivo é auxiliar no monitoramento da gestão de resíduos sólidos desde a geração até a destinação final, incluindo as atividades de transporte.

A implementação da plataforma é de responsabilidade da Secretaria Estadual do Meio Ambiente de São Paulo e da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), que gerenciam as informações referentes ao fluxo de resíduos para assegurar que empresas licenciadas/legalizadas executem a destinação dos efluentes de forma adequada.

Qual é a importância do Sigor?

Todas as empresas localizadas no estado de São Paulo devem utilizar o Sigor para emitir o MTR (Manifesto de Transporte de Resíduos), um dos documentos obrigatórios para o tratamento de efluentes industriais

Qual é a diferença entre Sigor e Sinir?

Enquanto o uso do Sigor se aplica a empresas atuantes no estado de São Paulo, o Sinir (Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos) é seu equivalente a nível nacional. Os dois sistemas são integrados, portanto, todas as informações adicionadas pela sua empresa no Sigor vão para o Sinir automaticamente.

Segundo a CETESB, as duas plataformas são praticamente idênticas, mas o Sigor tem algumas adequações específicas de acordo com as normas estaduais. Uma delas é a possibilidade de incluir dados do CADRI, do Parecer Técnico e do código ABNT para cada resíduo incluído no MTR. 

Por enquanto esse é um recurso opcional, mas que deve se tornar obrigatório no futuro. Essa informação consta no guia rápido disponibilizado pela própria CETESB.

Como agilizar a emissão do MTR e outros documentos?

Muitas empresas demoram a se adaptar à legislação sobre tratamento de efluentes e perdem oportunidades de negócios por conta da dificuldade para lidar com questões técnicas e burocráticas. A solução é contar com parceiros especializados para executar essas tarefas.

A Okena oferece soluções personalizadas para tratamento, transporte e destinação de efluentes industriais e tem uma equipe de especialistas para auxiliar na emissão do MTR e do CADRI, além de fornecer todo o suporte no dia a dia da gestão de resíduos.

Quer adequar o tratamento de efluentes aos mais altos padrões de qualidade e segurança? Conheça as soluções da Okena para seu negócio!