CADRI: O Que É e Como Calcular

CADRI: O Que É e Como Calcular

O tratamento de resíduos industriais é regulamentado por disposições legais de abrangência estadual e nacional. No estado de São Paulo, para assegurar que sua empresa atua em conformidade com as normas técnicas vigentes, é obrigatória a obtenção do CADRI (Certificado de Certificado de Movimentação de Resíduos de Interesse Ambiental).

Entenda melhor do que se trata esse documento, que tipo de empresas precisam dele e como é feito o cálculo do valor a ser pago para sua expedição. 

O que é CADRI

O CADRI é uma licença emitida pela CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo), agência responsável por fiscalizar atividades que geram algum tipo de poluição. A função do documento é aprovar o método de encaminhamento, reprocessamento, armazenamento, tratamento e destinação de resíduos.

Dito de outra forma, o CADRI serve para garantir que o tratamento e a destinação final dos resíduos gerados pelas atividades produtivas sejam feitos por empresas homologadas. A obrigatoriedade desse documento é determinada pela Lei Estadual 12.300/2006 e pela Lei Federal 13.305/2010

Quem precisa do CADRI

A obtenção do CADRI é obrigatória para toda empresa que gere resíduos de interesse ambiental. Segundo a norma NBR 10.044, a classificação de resíduos se divide em:

Classe I: resíduos perigosos

Os resíduos de classe I são os que oferecem risco à saúde pública ou ao meio ambiente, como materiais inflamáveis, corrosivos, reativos, tóxicos e patógenos. Como exemplos, podemos citar:

  • solventes como acetona e metanol;
  • borras e resíduos ácidos;
  • lodo industrial;
  • óleos lubrificantes.

Classe II A: resíduos não inertes

A classe II A abrange materiais biodegradáveis, combustíveis e solúveis em água que não pertencem à classe I ou à classe II B (resíduos inertes). Como exemplos, podemos citar:

  • resíduos orgânicos;
  • lodo do sistema de tratamento de água;
  • embalagens vazias;
  • aparas de espuma;
  • fibra de vidro.

Como calcular o CADRI

Ao solicitar o CADRI, é necessário pagar uma taxa de expedição das licenças ambientais e dos pareceres da CETESB. O método atual para calcular o valor a ser pago entrou em vigor em 2019, conforme as disposições do Decreto nº 64.512. Ele utiliza a seguinte fórmula:

P = (100 + K)* FP

Os fatores da fórmula significam:

  • P = preço a se cobrado em UFESP (Unidade Fiscal do Estado de São Paulo);
  • K = quantidade de resíduos a serem movimentados por ano, em toneladas;
  • FP = fator de periculosidade (1 para resíduos perigosos e 0,5 para resíduos não perigosos.

Como exemplo, suponhamos que uma empresa movimente 4 toneladas de resíduos em um ano e que o fator de periculosidade deles seja 1. Nesse caso, a conta seria:

P = (100 + 4)*1

P = 102*1

P = 102

O valor da UFESP é reajustado anualmente. Em 2022, seu valor é de R$ 31,97. Você pode acompanhar as atualizações pelo site da Secretaria de Fazenda e Planejamento do Estado de São Paulo.

No exemplo acima, o preço a ser pago pela emissão do CADRI seria:

P *R$ 31,97 = 102*31,97 =R$ 3.260,94

É possível facilitar o seu processo de obtenção do CADRI com o apoio da Okena, que oferece a assessoria completa em todo o processo de tratamento de efluentes. 

Quer saber mais? Veja como a Okena pode ajudar seu negócio com os melhores serviços de coleta, tratamento e destinação de efluentes industriais!

Água de reuso e o tratamento de efluentes

Água de reuso e o tratamento de efluentes

Neste artigo vamos falar sobre como a água de reuso e o tratamento de efluentes estão interligados.

A água de reuso é aquela que já passou por algum processo e após o tratamento específico em estações adequadas, pode ser direcionada para diversas finalidades não potáveis. Como por exemplo: esgoto sanitário ou efluentes industriais, evitando assim que grandes volumes sejam lançados no meio ambiente.

Mesmo que o Brasil seja um país abundante em água, as perdas provindas de diversos setores da sociedade são imensamente expressivas, ainda mais quando levamos em consideração a pouca quantidade de água que é devidamente tratada e destinada ao reuso.

A Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT tem normas técnicas publicadas sobre a legislação e normatização do reuso da água.

A EXPANSÃO URBANA

A expansão urbana é um dos fatores que impactam consideravelmente na escassez da água. Por isso, é necessário a adoção de ações que estimulem um consumo consciente desse bem tão importante para a humanidade.

Em contrapartida, cabe às autoridades responsáveis a melhoria dos índices de coleta e tratamento de esgotos, por meio de tecnologias que reduzam seu potencial de contaminação.

Assim, esta água devidamente tratada pode ter diversos tipos de reuso. Com isso, parte da água potável usada em alguns processos pode ser substituída pela água tratada, o que ajuda a preservar os recursos hídricos naturais disponíveis para fins de potabilidade, como consumo direto humano e animal.

O USO INDUSTRIAL DA ÁGUA

Ainda que seja de extrema importância o consumo consciente, é inegável o papel da indústria nesse desperdício. Só ela é responsável por 22% do consumo da água, e o setor agrícola utiliza 70%, enquanto o uso doméstico é de 8%.

Como nas indústrias nem sempre a potabilidade da água é um fator determinante, a reciclagem deste recurso, por meio do tratamento de efluentes, é uma alternativa que deve ser aplicada em lavagem de reatores e tanques móveis, torres de resfriamento, caldeiras, lavagem de maquinário e de pátios, entre outros.

OS IMPACTOS POSITIVOS DA ÁGUA DE REUSO

Você sabia que a gestão dos recursos hídricos é essencial para o bom funcionamento de uma empresa?

Hoje, com as grandes demandas de produção e constante avanço tecnológico, é imprescindível pensar na melhor forma de reaproveitar este recurso tão importante sempre que possível. E a prática de reutilizar a água traz impactos muito positivos para a indústria, sociedade e meio ambiente.

Com a reutilização da água gera-se economia em várias etapas dos processos industriais, uma vez que o consumo de água tratada pelas companhias de saneamento tem um valor mais elevado.

Esta economia acaba por gerar a seguinte reação em cadeia: a água tratada, que antes era despejada nos rios in natura, volta para o ciclo de produção, mesmo que agora tenha algumas limitações para seu reuso; diminui a necessidade de captação de água, pois já possui o suficiente para o consumo produtivo e por sua vez, a indústria colabora para a manutenção das reservas naturais, aumentando a parcela do recurso para o consumo doméstico.

ECONOMIA CIRCULAR PARA EFLUENTES INDUSTRIAIS

A Okena acredita que existe muita riqueza nos resíduos e efluentes industriais.

Somos uma empresa especializada no tratamento de efluentes e presente no mercado há mais de 10 anos. Atuamos em quatro linhas de tratamento como o físico-químico de efluentes industriais. Atendemos empresas de vários segmentos como indústria têxtil, cosméticos, transporte e logística e vários outros.

Fazemos parte de um grupo certificado e qualificado para encontrar as melhores soluções para sua empresa identificar oportunidades de beneficiamento dos resíduos industriais e buscar a forma mais sustentável de reintroduzi-los em outras cadeias produtivas.

Quer saber mais? Clique aqui e conheça a Okena!

Efluentes: o que são e quais os tratamentos

Efluentes: o que são e quais os tratamentos

Efluentes: o que são e quais os tratamentos?
Antes de sabermos quais os principais tratamentos de efluentes, vamos entender o que são os efluentes?

Os efluentes são resíduos aquosos de origens residenciais ou industriais e que precisam de tratamentos específicos, pois podem conter elementos potencialmente poluidores e até mesmo danosos ao meio ambiente como diversos tipos de óleo, metais pesados, entre outros.

Os tratamentos se fazem necessários, afinal garantem o seu retorno ao meio ambiente de forma segura e algumas vezes reutilizável.

Logo o descarte ilegal desses efluentes pode causar prejuízos às empresas, como por exemplo a Duratex que foi interditada por lançar resíduos em locais inapropriados.

Efluentes: quais os tratamentos? 

Os tratamentos dos efluentes devem ser realizados por empresas qualificadas e vigilantes do cumprimento das leis ambientais.

Antes de mais nada, necessitam conhecer as diretrizes sobre o manejo de efluentes. O órgão que estabelece os procedimentos é o Conselho Nacional do Meio Ambiente, CONAMA.

O qual definiu, por meio da Resolução n º 357, de 17 de março de 2005, condições e padrões de referência para os efluentes.

Além disso, as empresas devem ser certificadas com todas as licenças necessárias para este tipo de serviço. Só assim, poderão garantir o transporte, tratamento e despejo dos resíduos de forma responsável e dentro dos parâmetros da lei.

Na Okena os tratamentos são divididos de acordo com o tipo de efluente que as empresas podem gerar.

Tratamento físico-químico de efluentes industriais: como é feito? 

Os tratamentos físico-químicos separam as partículas sólidas dos efluentes por meio de processos mecânicos como: filtração, sedimentação, peneiração, entre outros. Ou químicos como oxidação e redução, a troca iônica e a clarificação.

Na Okena, quando o material bruto é recebido, uma amostra é retirada para análise e posteriormente direcionada para uma das quatro linhas de tratamento, sendo elas:

  • Emulsão oleosa
  • Efluentes ácidos
  • Tintas, neutros e efluentes de gráficas
  • Casos especiais

Tratamento biológico de efluentes industriais

Muitos efluentes apresentam grandes volumes de matéria orgânica em sua composição. Para a remoção, é imprescindível neutralizar os resíduos por meio de processos biológicos que fazem a sua decomposição.

Dessa forma, os tratamentos podem ocorrer de duas maneiras:

Tratamento biológico aeróbio: 

Destinado às bactérias que precisam de oxigenação constante. O processo é realizado com o efluente biodegradável em condições controladas de temperatura, pH, OD (oxigênio dissolvido) e DBO (Demanda Biológica de Oxigênio).

o Tratamento biológico anaeróbio: 

É voltado para as bactérias que não precisam de oxigênio para realizar a degradação da matéria orgânica. Neste caso, a emissão de gases é controlada devido ao mau cheiro durante o processo.

A estrutura de tratamento biológico da Okena tem capacidade para tratar 15 mil m³ por mês. Ou seja, aproximadamente 15 milhões de litros são mensalmente tratados e destinados com segurança.

Okena

Estamos presentes no mercado há mais de 10 anos e somos especialistas no tratamento de efluentes das mais diversas naturezas e complexidades.

Como uma empresa B certificada, prezamos pelo bem-estar dos nossos colaboradores, comunidade e do planeta igualmente. Por isso, investimos constantemente em segurança, infraestrutura, capacitação técnica, melhorias de processos e acima de tudo em metodologias de tratamento para oferecer soluções completas e economicamente viáveis aos nossos clientes.

Fale com a gente! Saiba como podemos ajudar a sua empresa com a melhor solução para os tratamentos de efluentes.

Resíduos da construção civil: como fazer o tratamento?

Resíduos da construção civil: como fazer o tratamento?

A construção civil é um dos setores industriais mais importantes para a economia do país. As suas diversas atividades a faz responsável pela produção de grandes quantidades de resíduos sólidos e líquidos. Com isso, é preciso fazer o tratamento desses resíduos da construção civil para evitar impactos prejudiciais ao meio ambiente.

Em outras palavras, é essencial compreender os tipos de resíduos provenientes da construção civil para evitar os descartes incorretos.

Quais são os resíduos industriais da construção civil?

Os resíduos industriais da construção civil são todos aqueles que provém das construções, reformas, demolições, reparos ou preparações de terrenos. Portanto, existem dois tipos de resíduos classificados como sólidos (tijolos, blocos, concretos, madeiras, entulho, entre outros.) e os líquidos (graxas, óleos, efluentes sanitários, etc).

De acordo com a resolução: 307/2002 do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), que estabelece diretrizes para a gestão dos resíduos da construção civil. Eles são separados da seguinte forma:

  • A: reutilizáveis ou recicláveis de construções e reformas, terraplanagem, componentes cerâmicos, demolição de peças pré-moldadas produzidas e outros;
  • B: recicláveis destinados a aplicações em plásticos, papel/papelão, metais, vidros, madeiras, etc;
  • C: materiais que ainda não foram desenvolvidas tecnologias para reciclagem ou recuperação, por exemplo, o gesso;
  • D: perigosos, tais como: tintas, solventes, óleos e materiais industriais ou contaminados oriundos de clínicas radiológicas.

Os efluentes líquidos possuem substâncias que podem contaminar o solo e requerem atenção especial em seu tratamento e descarte.

Como deve ser feito o tratamento de resíduos industriais?

Contudo, é fundamental encaminhar as sobras dos resíduos líquidos perigosos para empresas especializadas. Por exemplo, no caso das substâncias contamináveis como os óleos e solventes, precisam ser acumulados e destinados a um tratamento específico.

Já os efluentes líquidos industriais, como por exemplo os dos sanitários gerados nas obras, precisam de coleta e separação diferenciadas dos domésticos.

O mesmo acontece com os efluentes derivados do petróleo. Que precisam de um tratamento diferenciado.

Afinal, eles passam por uma caixa de areia e pela retenção de óleos. Em seguida, é separado, armazenado e reciclado de acordo com sua especificação.

Um alerta para as empresas que realizam o tratamento dos resíduos! Pois, devem seguir as fiscalizações locais, bem como as normas e regras estipuladas para a proteção do meio ambiente.

Como a OKENA pode ajudar?

Somos uma empresa especializada no tratamento de efluentes. Atuamos em quatro linhas de tratamento como o físico-químico de efluentes industriais. Atendemos empresas de vários segmentos como indústria têxtil, cosméticos, transporte e logística, além é claro, da construção civil.

A Okena é uma empresa B certificada que zela pelo bem-estar das pessoas e do planeta.

Quer saber mais sobre o tratamento de resíduos da construção civil? Fale com um dos nossos representantes da Okena!

Os riscos do lançamento ilegal de efluentes

Os riscos do lançamento ilegal de efluentes

Os riscos do lançamento ilegal de efluentes

Os efluentes industriais são os resíduos gerados por empresas e que não são aproveitados. O lançamento deles em sua forma liquida ou sólida sem o devido é prejudicial à saúde e também ao meio ambiente, portanto devem ser tratados e descartados corretamente.

A contaminação das águas afeta o desenvolvimento de todo o ecossistema. Primordialmente, a ação é criminosa. As leis existem e estão cada vez mais rigorosas.

Quais são os riscos para o meio ambiente?

O lançamento ilegal de efluentes em rios desequilibra gravemente o ecossistema. Além disso, afeta de forma prejudicial todos os seres que ficam expostos a essa toxidade e precisam lidar com o surgimento de novas doenças.

A quantidade de efluentes industriais lançados ilegalmente ainda é menor do que os domésticos, todavia seus efeitos são prejudiciais. Dessa forma, o impacto é comprometedor à saúde humana. Estudos apontam que diariamente os efluentes lançados ilegalmente são equivalentes a dois Ibirapueras cheios em São Paulo.

Multas pelo lançamento ilegal 

Para algumas empresas o lançamento ilegal de efluentes não causa grandes perdas financeiras. Contudo, no Brasil multas já foram aplicadas. Por exemplo, o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente), dispõe de condições e padrões de lançamento de efluentes nas águas. Outros órgãos também realizam a fiscalização.

Outro exemplo, foi o Ibama que multou a Prefeitura de Ilhabela em R $ 2,5 milhões, após o lançamento ilegal de efluentes na praia. O Departamento de Água e Esgoto (DAE) multou uma empresa de Santa Bárbara D’Oeste, pelo lançamento ilegal de resíduos in natura.

Como é feito o tratamento correto dos efluentes? 

Além de benéfico ao meio ambiente, o tratamento correto de efluentes representa uma solução econômica às empresas.

Atuando no mercado há mais de 10 anos, a Okena é especialista no tratamento físico-químico e biológico de efluentes industriais das mais diversas naturezas e complexidades. Ou seja, coletamos, tratamos, destinamos e promovemos o tratamento de forma legal.

Dessa forma o tratamento biológico conta com os serviços de Tratamento biológico aeróbio e Tratamento biológico anaeróbio. Já o tratamento físico-químico conta com quatro linhas de atuação. Saiba mais aqui!

Assim, investimos constantemente em segurança, infraestrutura, capacitação técnica, melhorias de processos e metodologias de tratamento para oferecer soluções completas e economicamente viáveis ​​aos nossos clientes.

Somos uma empresa B certificada e zelamos pelo bem-estar das pessoas e do planeta.

Tem alguma dúvida sobre o descarte correto de efluentes? Fale com a Okena! Clique aqui e entre em contato com um de nossos representantes.

Efluentes, saiba tudo sobre o tratamento

Efluentes, saiba tudo sobre o tratamento

Hoje nós vamos falar sobre efluentes e o processo de tratamento desses resíduos provenientes de atividades humanas variadas, e que podem contaminar o meio ambiente.
Vamos falar sobre o que são os efluentes, a participação da indústria nesse processo, o efluente doméstico, e principalmente, sobre o tratamento dos efluentes industriais e a importância de fazer isso com uma empresa especializada que saiba o que faz.
Vamos entender tudo isso melhor a seguir. Acompanhe.

O que são efluentes?

Damos o nome de efluente aos resíduos produzidos tanto pelas indústrias quanto pelo ser humano em seu ambiente doméstico, e que são descartados no meio ambiente sobre a forma de líquidos ou gases. Assim, processos industriais e a rede de esgoto também são considerados efluentes.

Quando despejados na natureza, o efluente provoca uma alteração na qualidade dos corpos receptores (água e ar) e como consequência a sua poluição (degradação).

No decorrer da história humana, o desenvolvimento urbano e industrial se deu em torno dos rios devido a disponibilidade de água para abastecimento. Como consequência o rio também serviu como auxílio no descarte do efluente.

Por muito tempo isso foi perfeito e não gerou nenhuma preocupação ambiental. No entanto, o aumento dos impactos ambientais negativos causados por esse despejo sem controle tornou-se um verdadeiro problema para o meio ambiente e para a própria espécie humana.

 

Quais as principais características dos efluentes líquidos?

Para avaliar os efluentes que são lançados em líquidos considera-se principalmente 3 características:

  1. Efluentes sólidos: matéria que permanece após a evaporação do efluente à 103 a 105°C;
  2. Sólidos sedimentáveis: o volume de sólidos no efluente que se sedimenta após um período de repouso do líquido;
  3. Temperatura: efluentes muito quentes quando jogados na natureza podem gerar danos as espécies aquáticas e causar a morte por reduzirem a quantidade de oxigênio da água.

 

Quais outras características também são importantes para avaliar os efluentes despejados na natureza?

  1. Cor: efluentes muito escuros podem obstruir a luz solar nos meios aquáticos e causar danos a esse ecossistema;
  2. pH ou potencial hidrogeniônico: fornece informações a respeito da acidez (ou da alcalinidade) de um efluente;
  3. Demanda bioquímica de oxigênio (DBO): a quantidade de oxigênio necessária para oxidar a matéria orgânica por meio de bactérias;
  4. Demanda química de oxigênio (DQO); a quantidade de oxigênio necessária para oxidar a matéria orgânica através de um agente químico.

Efluentes industriais

As indústrias são as principais responsáveis pela produção de lixos ou resíduos despejados nos meios aquáticos e na atmosfera todos os dias.

Evidentemente, diferentes tipos de indústrias produzem diferentes tipos de efluentes. Tudo depende dos processos que são empregados e de quais as matérias e produtos químicos utilizados.

A maioria das Indústrias produz águas residuais, incluindo as águas de limpeza e lavagem, que se tornam efluentes líquidos e depois são despejados no meio aquoso.

O que caracteriza um efluente industrial?

Efluente industrial é todo o despejo líquido produzido nas diversas etapas de um processo produtivo, isto é, toda a água que é utilizada em uma indústria e, em seguida, descartada.

Quais as características dos efluentes na indústria química?

Nesta indústria existem dois tipos de efluentes líquidos classificados de forma diferente: os gerados na planta industrial e os usados como utilidades para a indústria. O primeiro consiste em efluentes gerados durante processos como reações, separações ou reciclos. Enquanto os efluentes usados como utilidades refere-se às águas de lavagem, resfriamento entre outros.

Efluentes domésticos

Efluentes domésticos são os resíduos produzidos em nossas casas que incluem as águas de lavagem e limpeza dos processos diários domésticos.

 

Efluentes, saiba tudo sobre o tratamento -03
Imagem ilustrativa. Foto: Pixabay.

 

Esses não têm o mesmo potencial poluidor dos efluentes industriais, mas ainda assim podem causar danos ao meio ambiente.

O nível de material orgânico presente implica em quê eles esse de frente seja destinado corretamente. Entenda melhor a seguir.

Por que é importante tratar os efluentes domésticos e dar a ele o descarte correto?

Os potenciais produtos químicos que estejam envolvidos nesses procedimentos, principalmente em estabelecimentos como restaurantes e edifícios urbanos, podem aumentar o impacto causado no meio ambiente pelos acidentes domésticos.

Quais os principais tipos de efluentes domésticos?

Nós podemos  como exemplo de efluentes domésticos  principalmente:

  1. Esgoto de prédios e edifícios comerciais, dentre outros;
  2. Caixas de gordura de casas, restaurantes e lanchonetes;
  3. Fossas sépticas, mais comuns em áreas rurais.

Como deve ser feito o tratamento de efluentes?

Há diversos métodos de tratamento que precisam ser aplicados antes de ser lançado nos rios a fim de evitar poluição ambiental.

 

Efluentes, saiba tudo sobre o tratamento -04
Imagem ilustrativa. Foto: Pixabay.

 

Há até mesmo padrões de qualidade da água fixados em normas e regulamentos federais, estaduais e municipais que devem ser seguidos. Portanto, para as indústrias realizarem o tratamento dos efluentes é uma necessidade tanto ambiental quanto uma obrigação legal, para atuar em conformidade com as diretrizes do CONAMA – Ministério do Meio Ambiente e legislações municipais/estaduais.

Vale dizer também que há normas para os resíduos domésticos em muitas cidades principalmente para aqueles oriundos das fossas sépticas.

É muito importante realizar o tratamento de efluentes com o auxílio e os serviços de uma empresa especializada, pois é preciso seguir uma série de etapas para possam ser descartados com segurança ambiental e dentro das normas vigentes.

Há basicamente três etapas de tratamento dos efluentes: concentração do poluente a ser eliminado, retirada da poluição por métodos específicos e, por fim, a recuperação de um produto razoável. Mas, os procedimentos podem variar muito dependendo da matéria e dos produtos químicos presentes.

Quais as principais características do processo de tratamento para os efluentes líquidos?

Para o tratamento de efluentes líquidos estão envolvidos processos físicos, químicos e biológicos:

  1. Processos físicos: Processos de remoção das substâncias fisicamente separáveis dos líquidos, as quais não estão dissolvidas;
  2. Processos químicos: utilização de produtos químicos. É o que acontece na remoção de sólidos por sedimentação utilizando um produto de precipitação química para aumentar a eficiência;
  3. Processos biológicos: a transformação de componentes complexos em componentes simples.

Por que é importante contratar uma empresa especializada para realizar o tratamento correto dos efluentes?

Cada tipo de resíduo precisa ser tratado da forma adequada, precisa de equipamentos adequados e precisa seguir processos variados na ordem correta.  Além disso, os órgãos fiscalizadores estão sempre monitorando esses procedimentos e caso a indústria não esteja seguindo as normas ela pode ser multada ou sofrer outras sanções legais.

Quais os benefícios de contratar uma empresa especializada para realizar o tratamento dos efluentes?

Contratar uma empresa especializada garante que você não vai ter dor de cabeça com a fiscalização e ainda vai diminuir a Pegada Ecológica da sua empresa, podendo inclusive somar esse fato nas suas campanhas de marketing perante o seu público alvo. Uma empresa especializada também pode indicar a forma mais acessível financeiramente para fazer o tratamento, sem onerar muito o processo.

Efluentes: dicas finais

Os efluentes são coisa séria, causam danos ambientais que podem fazer a sua indústria sofrer sanções legais se não forem tratados devidamente.

A Okena cuida do planejamento e do tratamento dos seu efluente com cuidado e atenção.